segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

A Magia é a aplicação da "vontade humana"

"A Magia é a aplicação da vontade humana, dinamizada, à evolução rápida das forças vivas da Natureza".
 
Nos últimos anos as coisas mudaram. Hoje os campos de investigação se ampliaram e já existe uma melhor compreenção das religiões antigas, graças as descobertas arqueológicas que tornaram claros os pontos que eram obscuros na história.
 
Desde a primeira década do século XIX, a Igreja e a Ciência vem estudando a filosofia hermética sob dois aspéctos completamente opostos. A Igreja diz que é pecaminosa e diabólica enquanto que a Ciência nega em absoluto, mesmo tendo para análise provas evidentes fornecidas pelos sábios de autrora e também os atuais.
 
Todavia, nenhum arqueólogo tem duvida sobre a antiguidade, a autencidade e veracidade dos livros herméticos, corroborados por monumentos antiquíssimos, que nos dão provas concretas da época em que foram concretizadas.
 
À medida em que o genero humano progrediu, foi pouco a pouco mergulhando na matéria e assim gradualmente começou a firmar sua individualidade em cada ego temporário. O egoísmo pessoal se desenvolveu e incitou os homens a fazerem abuso de seu conhecimento e poder. Mas a verdade é que a maioria do povo necessitava de um freio moral. O homem jamais pode viver sem um ideal qualquer que lhe sirva de farol e consolo. Assim nasceram ass regras religiosas para conter os exageros.
 
Sendo assim houve necessidade de subtrair, gradualmente, destes homens o poder da magia e o conhecimento divino, que em cada novo ciclo humano chegava a representar maior perigo como uma espada de dois gumes. Os poucos eleitos, cuja natureza interior não foi afetada pelo extremo desenvolvimento físico, foram com o decorrer dos anos, os únicos guardiões dos mistérios mágicos e os comunicaram somente aos Iniciados que estavam em condições de recebê-los, mantendo-se oculto dos outros homens.
 
Ao prescindir esta explicação dos ensinos secretos, ficou a religião reduzida a fraudes e enganos. Pois se apartamos o véu de fantasias dos homens que arrojam sobre da divindade suas fraquezas encorajados pelos dirigentes religiosos que se utilizam deste artifício para com isso aumentar seu poder de dominação, ao homem só restaria adorar o verdadeiro ideal da Divindade, o único Deus vivente na Natureza.
 
Nunca confunda Espiritualidade com religião.
 
A verdadeira magia consiste na capacidade humana de intensificar conscientemente a sua vontade, o seu desejo, no afã de acelerar processos que de outra forma levariam um tempo muito maior para a sua realização. O primeiro passo para a realização de qualquer ato mágico é um controle total da sua energia mental. Da imaginação. 
 
Se não és capaz de imaginar com clareza o que queres, não serás capaz de dinamizar a tua vontade sobre as forças vivas da Natureza.
 
Acredito que todos os rituais mágicos criados pelo homem, nada mais são do que formas físicas de atrair a sua atenção e forçar a mente a uma concentração sobre o objetivo do teu ato mágico. A base fundamental da magia é o ser humano. Pois é este o gerador da vontade. E a base de todo ato mágico é o controle da vontade, ou como é mais conhecido em nossos dias, através do controle da mente.
 
Na minha opinião estamos cercados de atos de magia e não os percebemos. Uma mãe que massageia a região dolorida de um filho que se machucou, no meu entender, pratica um ato de magia. Uma pessoa que ora em um templo ou numa igreja, para atingir algum objetivo, está praticando a magia. A magia é inerente ao ser humano. É um canal através do qual, se faz a comunicação entre o homem e sua dimensão sagrada. Toda vez que concentramos a nossa atenção, com o desejo definido de conseguir alguma coisa, estamos atuando como verdadeiros magos.
 
Fonte: Arsenal Gnóstico
O Grimório dos Magos
 
*Post gentilmente fornecido por "Pascoal Gomes".