terça-feira, 2 de agosto de 2011

O Triângulo de Salomão



A palavra perfeita é a tríade, porque supõe um princípio inteligente, um princípio que fala e um princípio falados. O Absoluto, revelou através de fala, dota esta fala de um senso equivalente para si mesmo, e na compreensão disso cria seu terceiro ego. Tão também o sol manifesta por sua luz e prova ou faz esta manifestação eficaz através de calor. A tríade é delineada em espaço pelo zênite divino, a altura infinita, conectado, com Leste e Oeste através de duas linhas diretamente divergindo. Com este triângulo visível razão compara outro que é invisível, mas é assumido que é igual dentro dimensão; o abismo é seu ápice e sua base invertida é paralela para o horizontal alongamento de linha de Leste para Oeste. Estes dois triângulos, combinados em uma única figura, que é a estrela de seis pontas, forme o símbolo sagrado do Selo de Salomão, o Estrela resplandecente do Macrocosmo. A noção do Infinito e o Absoluto é expresso por este sinal que é o pentáculo principal. dizer de quer, o mais simples, e abreviação completa da ciência de todas as coisas. Gramática isto atribui três pessoas ao verbo. O primeiro é que fala, o segundo que para qual é falado, e o terço o objeto. Criando, o Príncipe Infinito fala com Ele de Ele. Tal é a explicação do tríade e a origem do dogma do Trindade. O dogma mágico também é um dentro três e três entre um. Que sobre qual é como ou iguala que debaixo de qual é. Assim, duas coisas que se assemelham a um ao outro e a palavra que significam o deles/delas semelhança faz três. A tríade é o dogma universal. Em Magia. princípio, realização, adaptação; em alquimia. azoth, incorporação, transmutação; teologia de em . Deus, encarnação,
redenção; humana de alma de na. pensamento, amor e ação; na família. pai do, mãe criança de e. A tríade é o fim e supremo expressão de amor; nós só buscamos um ao outro como dois se tornar três. Há três mundos inteligíveis que correspondem a pessoa com outro por hierárquico analogia; o natural ou físico, o espiritual ou metafísico, e o mundos divinos ou religiosos. Deste princípio segue a hierarquia de espíritos, dividido em três ordens, e novamente subdividiu pela tríade em cada destes. Todas estas revelações são deduções lógicas das primeiras noções matemáticas de ser e número. Unidade tem que se multiplicar para ficar ativo. Um princípio indivisível, imóvel e estéril seria morto de unidade e incompreensível.
Era Deus único Ele nunca seria Criador ou Pai. Era Ele dois haveria antagonismo ou divisão no infinito que significaria a divisão também ou morte de todas as possíveis coisas. Ele é então três para a criação por Ele e na imagem dele da multidão infinita de seres e números. Assim é Ele Verdadeiramente um em Ele e triplica em nossa concepção que também nos leva a ver Ele como triplo em Ele e um em nossa inteligência e nosso amor. Este é um mistério para o crente e uma necessidade lógica para o iniciado em absoluto e real ciências. A Palavra manifestada por vida é realização ou encarnação. A vida da Palavra realizando seu movimento cíclico é adaptação ou redenção. Este triplo dogma era conhecido em todos os santuários iluminados pela tradição das salvas. Faça você deseja averiguar o qual é a Verdadeira religião? BusQue em qual percebe a maioria a divina Ordem que humaniza Deus e faz o homem divino que conservas o dogma de tríade intacto que roupas a Palavra com carne fazendo para Deus manifesto para as mãos e olhos do mais ignorante, o qual em atrações de multa para tudo em seu doutrina e pode se adaptar a tudo. um que de religião hierárquica de é cíclica de e, alegorias tendo e imagens para crianças, uma filosofia exaltada para homens crescidos, esperanças sublimes e doces consolações para o velho. As salvas primevas, ao buscar a Primeira de Causas, veja bem e mal dentro o mundo. Eles consideraram sombra e luz; eles compararam inverno com fonte, envelheça com mocidade, vida com morte, e a conclusão deles/delas era isto: A Primeira Causa é beneficente e severo; dá e toma vida. Então é lá dois contrário princípios, o um bom e o outro mal, exclamou os discípulos de Jubas. Não, os dois princípios de
equilíbrio universal não são contrários, embora contrastou para uma sabedoria singular a pessoa opõe a outro em aparecimento. Bem é à direita, mal na esquerda; mas a excelência suprema está sobre ambos, enquanto aplicando mal à vitória de bem e bom à emenda de mal. O princípio de harmonia está em unidade, e é isto para o qual dá tal poder o número desigual em Magia. Agora, o mais perfeito dos números estranhos é três, porque é a trilogia de unidade. No trigramas de Fohi, a tríade superior está composta de três YANG, ou figuras masculinas, porque nada passivo pode ser admitido na idéia de Deus, considerou como o princípio de produção nos três mundos. Pela mesma razão, o Trindade Cristão por nenhuma licença de meios a personificação da mãe para que é mostrada adiante implicitamente nisso do Filho. Para a mesma razão, também, que está ao contrário das leis de simbologia hierático e ortodoxo personificar o Espírito santo debaixo da forma de uma mulher. Mulher vem adiante de homem como Natureza vem adiante de Deus; assim o próprio Cristo ascende a céu e assume a Mãe de Virgem: nós falamos da ascensão do Salvador, e o suposição da Mãe de Deus. Deus, considerou como Pai, tem Natureza para Seu filha; como Filho, Ele tem a Virgem para a mãe dele e a Igreja para a noiva dele; como Espírito santo, regenera Ele e frutifica a humanidade. Conseqüentemente, no trigramas de Fohi, o três YIN inferior correspondem ao três YANG superior, para este trigramas, constitua um pentáculo gosta isso dos dois triângulos de Salomão, mas com um interpretação de tríade dos seis pontos da estrela ardente. Dogma só é divino já que é Verdadeiramente o humano. dizer de quer, na medida em que, resume a razão mais alta de humanidade. Tão também o Mestre Quem nós termo o Homem-deus, se chamou o Filho de Homem. Revelação é a expressão de convicção aceito e formulou através de razão universal na palavra humana em qual considere é dito que a divindade é humana e a humanidade divino no Homem - Deus., Nós afirmamos tudo isso, não teologicamente, sem infringir dentro, filosoficamente qualquer modo no ensino da Igreja que condena e sempre tem que condenar Magia. Paracelso e Agrippa não montaram altar contra altar mas se curvaram para a religião governante do tempo deles/delas: para o eleito de ciência, as coisas de ciência; para o crente, as coisas de fé.
No hino dele para o Sol real, o Imperador Juliano dá uma teoria da tríade que é quase idêntico com isso do Swedenborg iluminado.
O sol do mundo divino é o infinito, espiritual e incriado iluminam que é verbalizado assim falar, no mundo filosófico, e se torna a fonte de almas e de Verdade; então incorpora e resta luz visível ao sol o terceiro mundo, o sol central de nossos sóis dos quais as estrelas fixas são as faíscas já-vivas. O Kabalistas comparam o espírito a uma substância na qual permanece fluida o divino médio e debaixo da influência da luz essencial, seu exterior, porém, sido solidificado, como cera quando exposto arejar, nos reinos mais frios de argumentar ou de formas visíveis. Estas conchas, envelopes petrificaram ou carnified, era tal um expressão possível, é a fonte de erros ou de mal com o qual conecta o peso e dureza de envelopes animais. No livro Zohar, e nisso do Revolução de Almas, nunca são chamados caso contrário espíritos perversos ou demônios de mal que conchas. cortices. O cortices do mundo de espíritos são transparentes, enquanto esses do mundo material são opacos. Corpos são só conchas temporárias, de onde, almas têm que ser liberadas; mas esses que nesta vida obedecem a construção de carne para cima um corpo interior ou fluídico descascam que, depois de morte, se torna a prisão-casa deles/delas e atormente, até que o tempo chega quando eles tiverem sucesso dissolvendo isto no calor de a luz divina para qual, porém, o fardo da grosseria deles/delas impede eles de ascender. Realmente, eles tão só podem fazer depois que lutas infinitas, e por a mediação do justo, que estiram as mãos deles/delas adiante para eles. Durante o período inteiro do processo que eles são devorados pela atividade interior do cativo espírito, como em um forno ardente. Esses que atingem a pira de queimadura de expiação eles nisso, como Hercules em Monte Etna, e assim é entregado de os sofrimentos deles/delas; mas a coragem da maioria falha antes desta provação que parece a eles uma segunda morte mais apavorante que o primeiro, e assim eles permanecem dentro inferno que é justamente e realmente eterno; mas nunca são precipitadas almas nem até mesmo retido nisso apesar deles.
Os três mundos correspondem junto por meio dos trinta-dois caminhos de luz, que são como passos de uma escada de mão
sagrada. Todo Verdadeiro pensamento corresponde a um divina Enfeite em céu e um trabalho bom em terra; todo Grace de Deus manifestos uma Verdade, e produz um ou muitos atos; reciprocamente, todo ato afeta uma Verdade ou falsidade nos céus, uma graça ou um castigo. Quando um homem pronuncia o Tetragrama . diga o Kabalistas. os nove reinos celestiais sustentam um choque, e então todos os espíritos, clame um em outro": Quem está perturbando assim o reino de céu? " Então faz a terra comunique até a primeira esfera os pecados daquele erupção cutânea ser que leva o Nome Eterno em vão, e a palavra acusadora é transmitida de circule para circular, de estrela estrelar, e de hierarquia para hierarquia. Toda expressão vocal possui três sensos, todo ato tem uma gama tripla, toda forma, uma idéia tripla, para o Absoluto corresponDe mundo para mundo por suas formas. Todo determinação de testamento humano modifica Natureza, filosofia de preocupações e é escrito em céu. Há duas fatalidades por conseguinte, um que é o resultado do Incriado Vá em harmonia com sua própria sabedoria, o outro de testamentos criados em acordo com a necessidaDe causas secundárias na correspondência deles/delas com o Primeiro Causa. Não há nada conseqüentemente indiferente em vida, e nosso parecendo muito simples resoluções determinam freqüentemente umas séries incalculáveis de benefícios ou males, sobre tudo nas afinidades de nosso DIAPHANE com o Grande Agente Mágico, como devemos nós explique em outro lugar. A tríade, sendo o princípio fundamental do Kabalah inteiro, ou Sagrado Tradição de nossos pais, necessariamente era o dogma fundamental de Cristianismo, o dualismo aparente do qual explica pela intervenção de um harmonioso e unidade todo-poderosa. Cristo não pôs o ensino dele em escrever, e só revelado isto em segredo para o discípulo de favorecido dele, o um Kabalista, e ele um grande Kabalista, entre os apóstolos. Assim é o Apocalipse o livro do Gnosis ou Doutrina secreta dos primeiros cristãos, e a chave desta doutrina é indicada por um versículo oculto da Oração do Deus que o Vulgata deixa para não traduzida, enquanto no Rito grego que preserva as tradições de São João os padres só é permitido pronunciar isto.

Fonte: dogma e ritual de alta magia | Eliphas Levi

De Regulæ Vitæ - Escrito por Marcelo Motta

(Documento secreto do I° O.T.O.)

[Nota de Frater S.R.: refere-se à Sociedade Ordo Templi Orientis (S.O.T.O.), não ao Califado. Documento disponibilizado em http://astronargon.us. Apesar de alguns exageros, podemos extrair algo deste material]

Faze o que tu queres há de ser tudo da Lei.

Ó, meu novo Irmão ou Irmã! Se tu viestes à nossa Ordem para satisfazer curiosidade mundana ou para espionar-nos a pedido de nossos inimigos, ou em busca de prazeres e vantagens materiais, tu és como um mergulhador num lago profundo. Desfrute de teu banho! Tu logo sairás e não deixarás vestígio de tua passagem. Se eu mergulho a mão na água, a superfície mantém a marca de meus dedos?

Mas se tu vens aspirando à vida mais ampla e profunda dos Adeptos – se a Chama do Espírito brilha em ti – ouvi estas minhas palavras.

Tu farias mudar a tua natureza animal. Tu procuras a existência espiritual dos membros mais avançados de nossa espécie. Tu anseias por aquela sabedoria que parece sobre-humana aos tolos, simplesmente porque eles nunca conceberam que ela poderia existir. 

Aprendei os primeiros passos do Caminho!

O hábito é uma segunda natureza. Criando em tua vida diária pequenos hábitos muito simples tu tomarás um passo gigante e complicado no sentido do cumprimento da Grande Obra.

Tu pagarás pontualmente as taxas da Loja, mesmo que isso seja um sacrifício para ti.

Tu pedirás provas de que a Loja está colocando teu dinheiro em bom uso.

Tu lançarás teu braço diagonalmente em um arco através de teu corpo e pronunciarás APO PANTOS KAKODAIMONOS sempre que vires qualquer pessoa no hábito de qualquer uma das religiões amaldiçoadas em Liber AL capítulo III 59-56, ou sempre que tu entrardes em um de seus lugares de culto.

Tu falarás, como um brinde: Faze o que tu queres! Sempre que tu és um convidado a comer ou beber na mesa de qualquer pessoa.

Tu te esforçarás em controlar tuas emoções. Isso não significa reprimi-las, mas usá-las, ao invés de deixá-las te usar.

Tu não celebrarás em templos do velho æon; nem mesmo como um convidado educado. Tu não serás testemunha de nenhum casamento e de nenhum último ritual, a menos que seja da Santa Igreja Gnóstica Católica.

Tu observarás a máxima limpeza nas roupas de teu corpo, em tuas roupas de cama, em teus talheres, e teu corpo nu. Isso não significa que não podes te sujar se isso for parte de um trabalho.

Tu não realizarás nenhuma magia às terças-feiras, que são sagradas para o Senhor do Æon.

Devias tu sentir-te magicamente oprimido - e lembra-te de que se tu realmente és de nós serás testado pelas hordas infernais – tu farás assim:
Tu dissolverás sabão, ou sal, ou perfume, em água limpa, pronunciando o sexagésimo segundo verso do segundo capítulo do Livro da Lei.

Tu molharás a ponta do teu polegar na mistura, ou a ponta do teu dedo médio, e tu traçarás o Pentagrama de Banimento da Terra no limiar das portas e sobre as janelas de teu lugar de residência, pronunciando o quadragésimo quarto verso do primeiro capítulo do Livro da Lei. Tu farás isso logo após o alvorecer e logo após o pôr do sol sempre que quiseres, ou sempre que tu sentires ataque. Não negligencies nenhuma entrada quando tu fizeres: é melhor não selar nenhuma do que se esquecer de selar uma.

Tu frequentarás assiduamente tua loja, e tu meditarás ao menos uma vez na sala da Noite-no-Deserto.

Tu darás Liber Oz como um presente para as pessoas que tu considerardes dignas que possam cruzar o teu caminho no mundo exterior. Tu farás isso e nada mais. Tu não buscarás convertê-los, nem discutir com eles sobre a Lei.

Tu estudarás diligentemente os livros da O.T.O.; tu lerás e meditarás frequentemente sobre os Pequenos Ensaios em Direção à Verdade de Mestre Baphomet.

Tu não manterás relações sexuais a menos que tu sintas uma forte atração. Não é a frequência do ato que marca a virilidade de um homem ou o charme de uma mulher, mas sim a qualidade do relacionamento.

Tu não evitarás o sexo com ninguém quando tu sentires uma forte atração, a menos que a voz interior fale em ti. Tu não confundirás esta voz com restrição de preconceito.

Então dirás antes de se retirar: Liber AL capítulo II, Versículo 9.

Tu saudarás o Sol e a Lua e as Estrelas, tu falarás para as rochas, e amarás as plantas, e tu tratarás os animais como se fossem humanos. 

E tu tratarás os seres humanos como se fossem deuses que dormem, e dormindo sonham, pois na verdade eles o são. E acima de tudo, tu farás a tua vontade, com toda a tua força!

Ouça o segredo do sucesso. A Loja é um foco para a energia do grupo. Portanto, através do trabalho de Loja tu te tornarás mais apto de obter todas aquelas preliminares úteis que os homens inferiores tomam por propósito de vida: conforto, saúde e lazer.

Mas isso só é possível na medida em que todos os membros contribuam para o sucesso de todos, e na medida em que a Lei seja cumprida. Pois eis que está escrito em AL I 61: mas sempre no amor de mim.

A Lei é para todos. Nossa Senhora Nuit é tudo e está em tudo que existe. Portanto, se o teu sucesso fere ou restringe a liberdade de qualquer outro ser, não é sucesso, é fracasso. Não é magia, é feitiçaria.

Entenda também que o tigre não restringe a liberdade da gazela quando ele come de sua carne. Mas seria restrição exigir que a gazela se comporte como um tigre.
Tu não tens direito senão fazer a tua vontade.

Portanto, se tu alimentas da energia da Loja e mesmo assim obstáculos aparecem em teu caminho, ponderes bem se a tua ambição não causa nenhum dano à harmonia universal. E se concluirdes que não, vigie a Loja. Certamente um dos membros não é digno dela.

Nenhuma corrente é mais forte do que seu elo mais fraco.
Escutai o segredo do sucesso. Tu és a própria fonte da energia mágica que tu usas. Portanto, até mesmo os rituais e os exorcismos derivam seu poder de ti.
 
Não pronuncies palavras rituais passivamente; Elas não poderão invocar as Forças Divinas, nem proteger contra as forças demoníacas, exceto conforme tu sopras vida nelas.

Por outro lado, se um ritual é dado a ti, use-o. Nossos Escritos Secretos possuem verdadeiro poder mágico. Quando eles são postos em tuas mãos, eles entregam-te as forças que foram projetados para controlar. Ai de ti se tu os tem e não os usa! Tu certamente serás levado ao erro.

Ouça – mais uma vez! – o segredo do sucesso. Prove tuas palavras por atos. O Senhor do Æon despreza pensamentos ociosos ou discursos inúteis. Conhecê-lo-eis pelos seus frutos.

Portanto, aja. É melhor agir de forma errada do que se abster de agir. Aquele que nunca erra é aquele que nunca tenta. Tente!

Não temas o fracasso. Sucesso é tua prova, mas tu nunca saberás o que é o suficiente a menos que tu saibas o que é demais. Certa vez, um Mestre do Templo escreveu o seguinte:

Se a tua alma não é pequena,
digno és tu. Valeu a pena?

Obedecei as regras. Estudai os livros. Realizai os rituais corretamente com alegria & beleza! Protegei a Loja, que é a fonte de tua força. Pois tu não a alimentastes com o teu sangue?

Refinai teus sentimentos. Ouvi a música de Mozart, Wagner e Beethoven. Pondere a Flauta Mágica, Parsifal e os últimos quartetos etc. Tal música inicia.

Cultivai um esporte. Tu não passarás ao Círculo Interior se não deres prova da excelência em algum ramo do atletismo.

Estudai matemática e os clássicos. A primeira te ensinarás a própria estrutura do manas superior; o segundo explicar-te-á de onde vens, pois eles são o tesouro do Inconsciente Coletivo. Assim te será facilitado saberdes para onde vais.

Trabalhe e aspire. Ora et Labora. Seja digno da Ordem, seja digno de Nós!

Amor é a lei, amor sob vontade.

Parzival XI° O.T.O.

Clarividência e Visão Remota

A Clarividência ou Visão Remota é uma forma paranormal de percepção caracterizada pela recepção de imagens mentais na mente consciente de uma pessoa. Difere-se da telepatia por ser um fenômeno isolado e espontâneo. Podemos dizer que enquanto a telepatia tenta estabelecer um diálogo e simular mentalmente a fala e a audição, a clarividência se assemelha mais ao sentido da visão por ser mais contemplativo, motivo pelo qual é conhecido por algumas escolas de ocultismo como "visão espiritual" ou "segunda visão".

Tipos de Clarividência

Para fins de estudo classificamos a Clarividência em três sub-fenômenos distintos. Uma visão que traga informações do presente é a chamada Clarividência Clássica. Uma visão com informações do passado recebe o nome de Retrocognição. Por fim, uma visão com informações do futuro é chamada de Precognição. veremos a seguir um exemplo de cada tipo:

Precognição - Clarividência do Futuro
Existem centenas de casos catalogaos, mas neste artigo destacaremos aquele que talvez seja o mais famoso de todos. Como todos sabem o famoso navio Titanic naufragou na madrugada de 14 para 15 de abril de 1912. Desde o dia 23 de março do mesmo ano, Mr. J. O'Connor e família já tinham suas reservas. O que poucas pessoas sabem é que existem provas documentadas do diário de Mr. O`Connor atestando que sonhou que "via o navio com a quilha no ar e a bagagem e os passageiros flutuando nas águas ao redor". O`Connor não queria assustar seus filhos e manteve para si este relato. O sonho se repetiu algumas noites depois. Não podendo mais ignorar este relato de sua mente disse então a todos que iria cancelar suas reservas. Este é um dos casos melhores documentados da história pois foi acompanhado pela Society for Psychical Research de Londres, solicitação feita pelo próprio vidente antes que a tragédia histórica se confirmasse.

Retrocognição - Clarividência do Passado
Outro caso bastante famoso aconteceu com o músico alemão Léon Bach, descendente do célebre compositor Johann Sabastian Bach. Ele acabara de adquirir uma antiga espineta, um tipo de instrumento musical semelhante ao cravo. O artefato lhe havia sido vendido por um comerciante que não soube precisar a origem do instrumento. Na primeira noite em que Léon Bach levou o instrumento para sua casa ele teve um sonho revelador: viu um jovem vestido como um fidalgo do século 16, que lhe contou que o rei Henrique III da França o presenteava com o instrumento e tocou nele uma música que o agradou muito. Nesse ponto o sonho se interrompeu. Pela manhã, Bach descobriu que o vendedor havia lhe deixado um presente - era um manuscrito da canção, com letra e música que ele ouvira no sonho com caracteres e anotações daquela época. Uma pesquisa feita posteriormente confirmaram que um músico italiano de nome Baldasarini ou Balthazarini era amigo próximo do rei Henrique III que viveu entre 1551-1589 e desfrutado de seus favores durante muito tempo.

Clarividência clássica - Informações do Presente
Massímo Inardi em seu livro "A História da Parasicologia", conta um caso de clarividência a distância bastante ilustrativo que contem todos os elementos normalmente presentes nas manifestações pisíquicas desta natureza. A história aconteceu em Boston, Estados Unidos. Diz ele que havia um redator cujo nome era Edmund Sampson. Desde há muitos anos ele desempenhava as funções de redator chefe da crônica noturna do Boston Globe. Na noite de 10 de agosto de 1883, meio bêbado, apresentou-se na hora habitual do seu posto de trabalho. Em vez de começar a trabalhar, mal caio na cadeira naquela noite e caiu num pesado sono ao ponto de seus colegas acharem melhor não incomodá-lo. As três da manhã o homem acordo de sobressalto sob o efeito de um pesadelo. Tinha tido um sonho tão horrível que acordou gritando aterrorizado, Pálido, suado em estado lastimável demorou alguns minutos para se recuperar. Depois disse que visto imagens de um vulcão em violenta erupção numa ilha perdida nos mares do sul, que em seu sonho ouvir chamar de Pralape. Assitiu as cenas de pânico da pequena população que fugiu como louca em direção ao mar, seguida de uma imensa fumaça e enormes rios de lava incandescente. Ele calculou que o número de pessoas que viu morrer se aproximava das 36 mil. Sampson ficou tão convencido do que vira, tamanho o realismo e detalhamento do que experimentou que escreveu um artigo que acabou sendo publicado na edição do dia seguinte da Boston Globe. O relato se espalhou pelo mundo e milhares de pessoas leram a notícia. Só que nenhuma fonte oficial confirmou o fato e o jornal foi acusado de ter praticado um truque para aumentar as vendas pois nem sequer havia no mapa do mundo qualquer menção ao uma ilha chamada Pralape. Como era de se esperar Sampson foi despedido, mas 24 horas depois chegou a notícia do cataclismo. Relatos oficiais foram se completando, confirmando a descrição de Sampson. A única diferença estava no nome, pois o vulcão que entrara em atividade era o Perbuatan, na Indonésia que presenciou a famosa catástrofe da ilha de Krakatoa. Só mais tarde soube-se que a ilha dois séculos antes era conhecida pelos nativos pelo nome de Pralape, tal como no sonho do redator,

Magia e Clarividência

Estes são apenas três casos entre muitos outros de um vasto acervo na literatura parapsicológica. São de fato tão comuns que alguns estudiosos começaram a pesquisar se eles poderiam ser induzidos. Será que eles só ocorrem espontaneamente em pessoas que nasceram com este dom em particular, ou será que podem ser induzidas por meio de alguma técnica especial como parece ser o caso na prática do xamanismo no qual os praticantes alegam não apenas enxergar o que está ocorrendo a distância mas também transmitir visões específicas para outras pessoas.
William Jon Watkins autor do livro "Manual de Experimentos Parapsíquicos" é um dos que dizem que a clarividência pode ser criada artificialmente seguindo alguns padrões que ele identificou após estudar centenas de casos semelhantes e os comparar com as técnicas tradicionais de xamãs e feiticeiros. Em seu livro ele afirma ainda que não existe diferenças práticas entre uma clarividência intencional e o que é tradicionalmente conhecido como magia.
Ele propõe o que diz ser uma técnica com a qual pessoa pode mandar uma imagem mental para outra. Para ele quase todos os rituais praticados por ocultistas são na verdade uma forma de enviar uma sugestão mental para uma outra pessoa e então deixar que as imagens transmitidas operem em sua mente. Imagens de saúde e alegria podem resultar em uma significativa melhora da saúde. Imagem eróticas podem se desenvolver em comportamento erótico enquanto que cenas de ódio e terror possuem um efeito maléfico destrutivo na vida do alvo.
O entendimento da magia como sendo uma técnica de clarividência induzida pode explicar também a chamada "Lei do Retorno" que entre ocultistas ensina que uma operação mágica sempre retorna de alguma forma ao mago. Afinal, para enviar imagens de destruição e dor ele mesmo deve preencher sua própria mente com dor e destruição. E estas imagens tem por sua vez suas próprias consequências na mente do emissor. O sucesso de uma operação mágica depende sempre portanto da sugestionabilidade do receptor. Isso pode ser facilmente medido dando ordens simples mas sem muita explicação para as pessoas. Diga para alguém dar um sorriso bem largo. Se a pessoa fizer rapidamente, sem perguntar porque ela é um bom alvo. Nesta concepção o mago perfeito é aquele que possui uma Vontade poderosa, e portanto pouco influenciadas por sugestões de qualquer tipo.

Anatomia da Visão Remota
Visto isso, temos que as condições para a produção de uma clarividência induzida são as seguintes:
1 - O Emissor precisar ter a firme Vontade de enviar a mensagem.
2 - A mensagem deve ser simples, clara e forte.
3 - O emissor deve visualizar o receptor dormindo e ter firme convicção de que a mensagem chegará em seu destino.
Uma informação relevante apresentada aqui é que a sugestão produz um efeito melhor quando o receptor esta dormindo e ainda maior quando dorme um sonho pesado. Quando dormimos necessariamente desligamos uma série de censuras e controles de comportamento que mantemos em funcionamento durante o dia e nos entregamos as diversas imagens produzidas pelos sonhos. Este estado vulnerável é altamente indicado para a recepção mental. Isso explica porque tantos trabalhos de magia seja de maldições ou de cura são praticados a noite quando o receptor ou o paciente está dormindo.
Watkins afirma que essas condições fazem parte dos rituais e cerimônias de caráter mágicos praticadas a milênios em diversas culturas. Se não forem obedecidas prejudicarão o resultado da operação. Ele explica ainda que a principal diferença entre as diversas escolas de magia reside no método usado para excitar a mente do mago ou sacerdote. São freqüentes o derramamento de sangue ou o uso de alguma espécie de psicotrópico ou ato sexual. Também são vários os casos em que a mente se inflama em orações ou alguma meditação profunda. Seja como for, todas elas empregam-se rituais que utilizam um certo número de símbolos associados ao propósito que se tem em vista.
Algumas tradições ocultas afirmam que um sacrifício de sangue é necessário nestes casos, seja do próprio mago ou de algum sacrifício. Isso porque supostamente o sangue contém vibrações que atraem entidades que facilitam a projeção mental. Alguns povos crêem em seres espirituais ou da natureza, enquanto que durante a idade média confiava-se nos poderes de anjos e demônios para tais fins. Entretanto Watkins pensa que esta é apenas uma crença psicológica para se eximir da responsabilidade pelo ato do assassinato e lançá-la sobre terceiros não-humanos que, se é que existem, não podem se defender destas acusações. Em contraste a estas tradições existem muitas outras práticas mágicas igualmente antigas que conseguem o mesmo resultado sem o apelo a violência e a morte de seres humanos ou animais.

Como enviar uma imagem mental

Tendo-se a certeza de preencher os requisitos passados acima, podemos descrever agora uma técnica não-religiosa para projeção de uma imagem mental, ou se preferir para induzir a clarividência e enviar uma sugestão mental a mente de outra pessoa. Conforme foi dito, a mensagem deve ser simples, clara e forte. Coloque-a em um papel para lhe dar uma forma concreta e tente reluzi-la ao mínimo de palavras necessárias para resumir a essência da sua mensagem. Também é necessária que a mensagem seja emocionalmente relevante ou ao menos emocionalmente carregada na hora de ser transmitida.
Como vimos cima, muitos casos de clarividência ocorre quando a pessoa está em estado de sono profundo. Assim, descubra qual o horário que a pessoa se retira para dormir e então execute o restante da operação cerca de 4 horas depois. Isso garante que o alvo esteja na fase mais pesada do seu sono onde sua mente estará mais receptiva as sugestões enviadas.
Em um ambiente tranqüilo visualize a pessoa o mais fortemente que puder. Faz parte das tradições ocultas um rigoroso exercício da própria imaginação de modo a poder criar-se imagens fortes e realistas com a própria mente. Se você não tem nenhum treinamento, os resultados podem não ser tão evidentes. Neste caso pode ser útil olhar para uma foto da pessoa ao mesmo tempo em que tenta evocar em sua mente seus atributos, voz, cheiro e comportamento. O objetivo é observar mentalmente a sua forma com todas as características que puder como se estivesse de fato junto dela.
Quando a imagem estiver bastante nítida, repita a mensagem previamente definida sem perder da mente o receptor da mensagem. A mensagem deve ser passada de forma o mais emocional possível. Regozijo, Raiva, Medo/Suplica e Lascívia provaram ser as emoções mais eficientes para isso, mas devem sempre estar de acordo com a mensagem que será enviada. Além disso a mensagem deve ser passada não como mera frase, mas sim como fortes cenas construídas pela imaginação do emissor. Um beijo, um tapa ou um abraço são sempre mais significativos do que apenas palavras e devem enriquecê-las na hora em que forem enviadas.
Repita a mensagem três vezes sentindo os mesmos sentimentos que ela deve evocar na outra pessoa. Feito isso respire fundo pelo nariz e mantenha o ar nos pulmões por alguns segundos e então expirando lentamente também pelo nariz recuperando a tranqüilidade. Diga para si mesmo com calma convicção que a mensagem foi enviada com sucesso para a pessoa. Mencione o nome da pessoa se possível.
Por fim tenha confiança na operação foi concluída com sucesso e ocupe-se com alguma outra atividade como a leitura, alimentação ou então retire-se para dormir. No dia seguinte fique atento para a reação do receptor. Os melhores resultados são aqueles que o receptor espontaneamente oferece em ser indagado ou questionado.

Dicas finais para a prática da Clarividência

Para tornar as coisas mais simples e fáceis as primeiras experiências com clarividência induzida podem ser feitas com alguém a quem se tem bastante afinidade e a mensagem deveria ser tão simples quanto "Entre em contato comigo", adquirindo sucesso nesta operação simples pode-se então seguir para execuções mais elaboradas e complexas até a maestria. A experiência deve ser feita nos dois sentidos de modo que se você for o emissor deve combinar posteriormente com o receptor para trocarem de papeis, desta maneira poderá mensurar suas qualidades individuais. Não é demais enfatizar que uma imaginação forte e uma vontade poderosa são dois ingredientes cruciais e qualquer exercício feito para fortalecê-las aumentará suas chances de sucesso.

Zelator

A Grande Obra, para o Zelator, é definida como "obter o controle das fundações do meu próprio ser". Por "fundações" entende-se a Consciência Automática.
"Zelator" é uma palavra em latim que significa "uma pessoa zelosa". Na antiga ordem da Golden Dawn, era o nome do Grau 1=10, e era descrito como tendo o significado de "Estudante Zeloso", cujo primeiro dever era assoprar o Athanor, ou fogo que aquecia o Cadinho do alquimista. Na A.'.A.'., o comentário oficial sobre o nome do grau é dado em Liber 185: "Que ele esteja atento de que a palavra Zelator não é um termo em vão, mas que um certo Zelo será inflamado dentro dele, quando ele menos esperar."
Na antiga Golden Dawn, "Zelator" foi também o nome do primeiro grau de sua Segunda Ordem, Zelator Adeptus Minor. Esta é a principal razão pelo qual o título foi dado ao 2=9 da A.'.A.'.. A Cerimônia de Zelator da A.'.A.'. é equivalente á iniciação de 5=6 da antiga Golden Dawn.

Avanço

O Liber 185 descreve o procedimento para o avanço de um Neófito ao grau de Zelator:
Que qualquer Neófito que tenha completado sua tarefa a contento da A.·.A.·. seja instruído na direção apropriada de procedimento: que é: —
Que ele leia do princípio ao fim esta nota de sua função, e assine-a, pagando a quantia de Três Guinés pelo volume contendo Liber CCXX, Liber XXVII e Liber DCCCXIII, que serão dados a ele em sua iniciação.
Que ele realize as adições necessárias a serem feitas ao seu robe de Neófito, e confie o mesmo aos cuidados de seu Zelator.
Que ele marque um encontro com o seu Zelator ao prazer do último para a cerimônia de Iniciação.
O terceiro dos "três volumes do Livro" é apresentado ao aspirante. Ele contém três Livros Sagrados Thelêmicos: O Livro da Lei, Liber Trigrammaton, e Liber Ararita.
O robe de um Zelator é o de um Neófito com a adição de um "Olho de Hórus" prateado na parte da testa no capuz.
"Finalmente ele passa pelo Ritual CXX., que o constitui um Zelator." (Liber 13)
Ritual CXX, a cerimônia de iniciação do Zelator, é alternativamente chamada Liber Cadaveris ("O Livro do Cadáver") e Passando Através do Tuat. Quatro dias são necessários para esta iniciação.

Asana & Pranayama

Zelator. - Seu trabalho principal é alcançar sucesso completo em Asana e Pranayama. (Uma Estrela à Vista).
INTERPRETAÇÃO: Central para o mistério de Yesod e do Grau 2=9 é a idéia de que "a mudança é estabilidade e estabilidade é mudança". É a principal tarefa do iniciado de Yesod criar uma base de estabilidade. Enquanto a natureza do Grau de Neófito era "volatilizar o fixo", a do Grau de Zelator é a de "fixar o volátil". As técnicas para alcançar isso são as práticas de yoga asana e pranayama.
Ásana é postura. Pranayama é, literalmente, "o controle do prana", efetuada por meio do controle da respiração. Liber E é a instrução primária para isso. O Currículo do Zelator também inclui uma instrução mais extensa em pranayama, Liber RV vel Spiritis.
Exames em ambas as práticas são objetivos. De Liber 185:
Ele deverá passar Exames em Liber E, Postura e Respiração. Ele deverá ter atingido sucesso completo no anterior, isto é, a postura escolhida deverá ser perfeitamente firme e fácil; e atingido o segundo estágio no mesmo, isto é, rigidez automática.
Liber E (Cap. III, v. 9) embeleza a anterior:
Quando você tiver progredido até o ponto em que um prato cheio até a borda com água e equilibrado sobre a sua cabeça não derramar uma gota durante uma hora inteira, e quando você não conseguir perceber o mais leve tremor muscular; quando, em suma, você está perfeitamente estável e fácil, você será admitido para exame...

Forjamento da Adaga Mágica

... ele deverá construir a Adaga mágica, de acordo com a instrução em Liber A. (Liber 185)
Além disso, ele forja a Espada Mágica. (Liber 13)
Um nível adicional em que o "forjamento da lâmina mágica" pode ser entendido é encontrado em Liber 185:
Ele deverá de todos os modos estabelecer controle perfeito de sua Consciência Automática de acordo com o conselho de seu Practicus, pois a ordália do avanço não é leve.

Liber HHH - Os Caminhos de Shin & Resh

Ele deverá ainda mostrar alguma familiaridade e experiência com as meditações dadas em Liber HHH. E nisto seu Diário será sua testemunha. (Liber XIII)
A primeira dessas práticas, MMM, chamada "A Iluminação da Esfera", é uma reencenação de meditação da operação interna da Cerimônia de Neófito, Ritual DCLXXI. É atribuída ao Caminho de Resh.
A segunda dessas práticas, AAA, chamada de "A Passagem da Câmara do Rei", corresponde (como uma prática meditativa, ao invés de cerimonial) ao processo da Cerimônia de Zelator, Ritual CXX. É atribuída ao Caminho de Shin.

A Fórmula da Rosacruz

Ele também começa a estudar a fórmula da Rosa-Cruz. (Uma Estrela à Vista).
INTERPRETAÇÃO: Esta linha está sujeita a ser entendida em diversos graus e formas íntimas, muito pessoais. O que se segue nesta seção, exceto pela citação direta, deve ser entendido principalmente como sugestivo. O Zelator é incentivado a discutir este assunto com o seu Practicus.
[Em Yesod] ele soube que seu corpo era o Templo da Rosa-Cruz, isto é, que lhe foi dado como um lugar onde realizar o Trabalho Mágico de unir as oposições em sua Natureza. (Mestre Therion)
Uma perspectiva importante pode ser adquirida observando que, enquanto o Zelator "começa a estudar" esta fórmula, apenas o Adeptus Minor Interno - aquele que tenha atingido o Conhecimento e Conversação do Sagrado Anjo Guardião - "é admitido à prática da fórmula da Rosa-Cruz ao ingressar no Colégio do Espírito Santo ". Por definição, só o Adeptus Minor Interno é admitido à prática desta fórmula da Rosa-Cruz que o Zelator começa a estudar.
Aleister Crowley, em vários lugares, resumiu, dizendo que a Rosa-Cruz é formulada na "aniquilação do eu no Amado."

Outras Tarefas

Além de tudo isso, ele deverá se aplicar em trabalhar para a A.·.A.·. sob sua própria responsabilidade. (Liber 185)
Ele deverá memorizar um capítulo de Liber CCXX ... (Liber 185)
Liber CCXX é Liber Legis, o Livro da Lei.
Ele pode a qualquer momento retirar-se de sua associação com a A.·.A.·. simplesmente notificando o Practicus que o introduziu. Mesmo assim que ele lembre de que estando adentrado até aqui sobre o Caminho, ele não pode escapar dele, e retornar ao mundo, mas sim ou à Cidade das Pirâmides ou às solitárias torres do Abismo. (Liber 185)

Avanço para Practicus

Não há tempo mínimo no Grau de Zelator: "O Zelator deverá proceder ao grau de Practicus a qualquer momento que a autoridade conferi-lo" (Liber 185). "Um mês após sua admissão ao Grau ele deverá ir ao seu Practicus, passar pelos testes necessários, e repetir a ele seu capítulo escolhido de Liber CCXX."
"Nenhum ritual admite ao grau de Practicus, que é conferido por autoridade quando a tarefa de Zelator é realizada." (Liber XIII)
"Quando a autoridade conferir o grau, ele deverá regozijar-se nisto; mas acautele-se, pois esta é a primeira partida do pilar do meio da Árvore da Vida". (Liber 185)