segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Dion Fortune



Atrás das sombras de Gerald B. Gardner, brilha Dion Fortune. Uma mulher pouco apreciada em seu tempo, ela foi provavelmente a menos conhecida entre seus pares, trabalhando atrás dos panos, ela desenvolveu sua própria tradição sem se preocupar com os apelos da publicidade. Dion foi uma psiquiatra respeitada, ocultista e a autora que conseguiu abordar conceitos mágicos e herméticos pela perspectiva de Jung e Freud. Ela foi uma escritora prolifera de livros sobre ocultismo (tanto novelas como não-ficção), adepta da magia cerimonial e psiquiatra pioneira em analisar os aspectos religiosos do ocultismo.

Seu nome civil era “Violet Mary Firth” e nasceu em 6 de janeiro de 1890 em Wales. Desde cedo ela mostrou habilidades mediúnicas e sempre falava de sonhos e visões de Atlântida. Mas tarde ela reivindicou ter sido uma Sacerdotisa em outra vida que morou neste local. Ela foi uma criança brilhante e escreveu seu primeiro livro aos 13 anos – um livro de poesias intitulado Violetas (1904). Em 1906, depois da morte de seu avô, a família se mudou para Londres, e lá ela se afiliou a Sociedade Theosófica. No ano de 1908 seu poema Angels foi publicado.

Dion se aprofundava na psicologia, concentrando seus estudos nas teorias Freud e Jung. Em 1913 ela foi contratada pela Clinica Medico-Psychological de Londres, onde concluiu que nem Freud nem Jung tinham se aprofundado adequadamente nas nuances da mente. Existia algo que estava faltando, e ela acreditou que a resposta poderia estar no ocultismo.
Durante o período da Guerra entre 1914 e 1918 Dion se recrutou na força de apoio feminino, mas continuava a manter contato com a Sociedade Theosófica. Ao final da guerra ela conheceu e trabalhou com Theodore Moriarty, um ocultista e maçom. Moriarty encorajou o interesse dela pelo ocultismo e em 1919, depois da guerra, ela foi iniciada no ‘Templo Alpha e Omega de Stella Matutina’, uma ordem afiliada a famosa Golden Dawn localizada em Londres.

Ela estudou junto com J.W.Brodie-Innes, mas acabou entrando em conflito com Moina Mathers a esposa de MacGregor-Mathers, um dos fundadores da Golden Dawn. Sentindo ataques psíquicos, ela se desligou e formou sua Ordem ‘A Fraternidade da Luz Interior’ (“Fraternity of the Inner Light”).

Depois da morte de seu amigo e mentor, Theodore Moriarty, em 1923, Dion ficou responsável pela Sociedade Theosófica e lhe deu o nome de ‘Místico Templo Cristão (“Christian Mystic Lodge”). Em 1924 ela comprou uma propriedade em Glastonbury, onde ela podia se refugiar da pressão do trabalho e da intensidade da grande cidade. Enquanto visitava Glastonbury, Dion ficou muito interessada nas lendas Arturianas e o mágico folclore da região.

Em 1937 ela conheceu e se casou com um médico chamado Thomas Penry Evans. Em face de seus interesses ocultistas, e que diferenciavam dos de Dion, ele se tornou conhecido como Merlin ou Merle. Eles trabalharam juntos como Sacerdote e Sacerdotisa na Ordem criada por Dion, ‘A Fraternidade da Luz Interior’ (“Fraternity of the Inner Light”). Apesar do envolvimento de ambos no ocultismo, suas brigas eram constantes e em 1939 Evans a deixou pela amante e em seguida o casal se divorciou. Dion continuou a comandar a Ordem, a qual recebeu novo nome: ‘Sociedade da Luz Interior’ (“Society of the Inner Light”).

Neste mesmo ano ela alugou uma propriedade em Londres e a transformou em templo para os seus seguidores. Tal como a propriedade em Glastonbury, também era dedicada aos ‘Mistérios de Isis. Logo depois da Segunda Guerra Mundial, Dion foi diagnosticada com câncer e em 8 de janeiro de 1946, partiu deste mundo para descansar em Summerland. Durante toda a sua vida e mesmo após sua morte, a sua sociedade sempre continuou crescendo e atraindo novos seguidores.

Ela derivou seu pseudônimo do dizer familiar, “Deo, non Fortuna”, que quer dizer “Por Deus, não por Sorte”, o qual ela abreviou para Dion Fortune. Nos seus livros ela imprimiu suas experiências tanto como ocultista como psiquiatra, muitos dos quais atingiram o status de obras clássicas.

Hoje em dia ‘Sociedade da Luz Interior’ (“Society of the Inner Light”) ainda é ativa e possui sua sede em Londres, no entanto enfatizam que Dion nunca foi uma bruxa e são categóricos ao afirmar que a Sociedade não possui nenhuma prática semelhante à Bruxaria. Uma triste constatação de seus membros que não conseguem ver o tamanho da influencia que o trabalho de Dion teve (e continua a ter) em relação ao movimento do renascimento da Bruxaria/Wicca.

Segue a lista dos mais famosos livros de Dion Fortune:

Aspects of Occultism
The Goat-foot God
Sea Priestess
Esoteric Philosophy of Love and Marriage
The Mystical Qabalah
Introduction to Ritual Magic, escrito em conjunto com Gareth Knight
The Magical Battle of Britain, escrito em conjunto com Gareth Knight
The Secrets of Dr. Taverner
Spiritualism and Occultism
Through the Gates of Death
Winged Bull
Cosmic Doctrine
Glastonbury
Psychic Self-defence
Applied Magic – to be published
The Circuit of Force
Esoteric Orders and Their Work
Mystical Meditations on the Collects
The Principles of Esoteric Healing
Principles of Hermetic Philosophy, escrito em conjunto com Gareth Knight
The Training and Work of an Initiate – 1940