terça-feira, 19 de abril de 2011

Conselhos para Jovens Ocultistas

Trabalhe muitas vezes no dia, trabalhe todos os dias. Trabalho freqüente – seja ele meditativo, talismânico, ritual, narcótico, qualquer que seja – obtêm resultados.
Leia criticamente. Sempre que possível, não pague para ler, a não ser que você possa gastar milhares de reais e acumular uma volumosa biblioteca sem aprender muito. Leia muito. Questione muito. Duvide muito.

Examine muitas pessoas, igualmente de forma crítica. Centenas de pessoas dizem ter poder, sabedoria, conecções, qualquer coisa. Muito freqüentemente a magia é um jogo de simulação – "eu acredito em seu poder se você acreditar no meu". Este tipo de infantilidade desperdiça muito tempo se você associa-se com outros magistas, logo, esteja em guarda contra isso.
A magia freqüentemente mesclar-se-á com os elementos sombrios da sociedade: boêmios, criminosos, artistas, etc. Use sua cabeça. Suspeite de qualquer pessoa que realize crimes por excitação: tais pessoas são geralmente estúpidas e rudes. Respeite as pessoas que são boas em praticar crimes: elas são perigosas.
A magia pode muito bem levá-lo à insanidade. Nada há de errado com isso: a sanidade tem seu valor exagerado, e você pode escolher ficar louco na forma de sua preferência. Mais poder para você: mas fique alerta e não deixe qualquer pessoa prendê-lo. A loucura pode ser poderosa: apenas tome precauções. A magia pode ruir a sua vida emocional e sujeitá-lo à emoções mais poderosas do que você já teve anteriormente. Zombe das pessoas que dizem que você desordenou o seu karma e que você tem que deixar o ocultismo. Esse tipo de pessoa adora dizer que os outros devem se render, porque eles se rendem freqüentemente em seus próprios trabalhos.
A melhor espécie de magia é, freqüentemente, a espécie que você já possui dentro de você, que você acredita e sente-se confortável com ela por instinto. Geralmente você pode achar que você era desde o princípio um grande magista, mas necessitava experimentar coisas que não eram de seu estilo para convencer-se de que seus instintos estavam certos desde o princípio. Muito freqüentemente eu tentava algumas coisas novas, exóticas e bem conhecidas apenas para descobrir que elas não funcionavam para mim porque eu possuía algo melhor dentro de mim desde o princípio.
Para aqueles que não estão familiarizados com a literatura oculta, aconselho-os à ler os livros de Papus (Dr. Gèrard Encausse), Éliphas Lévi (Alphonse Louis Constant) e Francis Barret, que são baluartes sustentadores da literatura hermética. Para citar os ocultistas modernos, podemos indicar as obras de Dion Fortune, Kenneth Grant, Peter J. Carrol e obras de Aleister Crowley, apesar de nem todas elas serem indicadas para  qualquer pessoa. Busquem os livros de autores com uma fama tradicional no meio ocultista, para que não caiam no erro, logo no princípio, de adquirir obras sem valor. Procure ler obras desconhecidas apenas conforme for adquirindo bastante experiência.
Boa Sorte à Todos

2 comentários: