terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Transmissão da Rosa+Cruz do Oriente

"A ti e a aquele que julgue digno, transmitirei a inciação da R+C do Oriente como a recebi no Egito a mais de trinta anos. Papus a recebeu de um místico francês, porém nem Téder, nem os demais membros do Supremo Conselho, jamais a receberam. Nenhum escrito, nenhum vestígio no plano físico, apenas o poder da radiação e a transmissão REAL... Em troca deste dom, nada te será pedido, apenas... o Silêncio."



Transmissão da Rosa+Cruz do Oriente

O altar estava humildemente forrado com uma toalha de linho branco onde à direita estava um grande círio de pura cera de abelha, perceptível pelo doce aroma que exalava, e à esquerda um incensório com um ardente e crepitante carvão que aguardava as resinas. No centro, o Livro Sagrado de capa branca, estampava em dourado um símbolo ladeado pelas letras gregas "Alpha" e "Ômega".

O Irmão Iniciador, um ancião, levantou-se e postou-se ante o altar, fez alguns sinais no ar e uma profunda reverência. Ele trajava uma longa túnica completamente branca, e na cintura um cordão branco-perolado com alguns nós.

Acendeu o círio, que provavelmente carregava a mesma chama há muitos séculos, e que igualmente queimava em outros círios de outros altares e em outros corações, símbolo da chama espiritual, da senda consciente de descoberta de si e do trabalho por todos, enfim da Iluminação final.

Parou por um momento e disse: " – Eu evoco entre nós a presença invisível de HELIAS ATHERSATHA, o "Artífice de Deus", condutor e protetor dos R+C". Por alguns instantes permanecemos admirando aquela chama, cheia de poder e força, que era carregada nos corações de nossos antepassados e que naquele dia eu receberia.

Ele então pegou uma porção do pó de incenso e jogou sobre o carvão incandescente, imediatamente uma espessa fumaça branca subiu nos ares e tomou o lugar, cobrindo tudo com uma cortina que lembrava uma bruma, o doce cheiro de cera do círio foi abafado, o forte cheiro me deixou imediatamente inebriado e ele disse:

"- Recordemo-nos, meu irmão que, para que nossos espíritos e nossos corações estejam em união, além da morte, com os Mestres Passados, com os quais nos ligamos através do Espírito e da Verdade com nosso Chefe, da Luz do Mundo: a Unção da Luz, o Mediador Único da Espécie humana, o Caminho, a Verdade, a Vida, a Luz Primitiva, a Sabedoria, o Único Mediador com o qual os homens podem regressar a Deus: o Cristhos."

Ele voltou-se para mim, de costas para o altar e pediu que eu me aproxima-se. Então fechando os olhos disse:

" – Receba, meu Irmão, por meio deste signo a Iniciação na Rosa+Cruz Esotérica Astral do Egito" e tocou minha testa fazendo uma cruz, neste momento um forte calor encheu minha cabeça e a senti em chamas, e continuou: " – Assim como me foi concedida por meu consagrador segundo a regra: sem escrita e sem vestígio no plano físico."

Enquanto estive de olhos fechados, vi que uma cruz em flamejante queimava em meio à escuridão, naquele momento havia recebido a marca de um verdadeiro dedicado à operação espiritual das Bodas Alquímicas.
Ao apagar o círio, o Velho Mestre disse: "Mestre Invisível, porém presente, HELIAS ATHERSATHA condutor dos R+C, dos Anjos e dos Espíritos que nos assistiram nesta singela cerimônia de sagração, nós vos damos graças. Que a Paz de Deus seja esteja sempre entre nós e vós! Que assim seja!"

Nenhum comentário:

Postar um comentário